Saiba como prevenir e tratar a tendinite e a tendinose

Tendão é a estrutura que fixa o músculo no osso. O sufixo “ite” refere-se a inflamação, e o sufixo “ose” à degeneração. Os sintomas da tendinite e da tendinose são parecidos, mas as causas e os tratamentos são diferentes. Por isso é importante diferenciar essas condições clínicas, e evitar a persistência do problema.

tendinite acontece quando uma força de tensão muito forte e/ou muito prolongada provoca uma pequena ruptura seguida de inflamação no tendão. Células inflamatórias são direcionadas para a região e ocorre inchaço e dor.

Algumas medidas simples podem prevenir a tendinite:

No trabalho:
-Evite passar muito tempo na mesma posição;
-Realize alongamentos musculares e mobilizações articulares nos punhos, antebraços, braços, ombros e pescoço;
-Levante-se frequentemente da cadeira para descansar a coluna e movimentar as pernas;
-Procure cadeiras que ofereçam encosto com apoio correto para o tronco;
-Procure cadeiras que oferecem apoios para os braços;
-Não apoie o telefone nos ombros.

No dia a dia:
-Ao sentar, deixe os pés apoiados no chão, joelhos com ângulo de 90 graus, quadril bem apoiado na cadeira e apoio para as costas e braços adequados à altura da pessoa.
-Realizar exercícios físicos regularmente ajuda a manter o corpo resistente e forte para suportar as posições de trabalho mais prejudiciais ao corpo e evitar lesões sérias que possam comprometer a qualidade do trabalho e a saúde do trabalhador.

O foco do tratamento também é diferente. Na tendinite, o principal objetivo deve ser a interrupção da inflamação e a recuperação das suas sequelas. No caso da tendinose, a atenção deve ser na identificação e interrupção/adaptação da atividade repetitiva que vem provocando a lesão, além de estimular a produção, reorganização e fortalecimento das fibras de colágeno no tendão.

Identificar o problema é muito importante, para evitar, por exemplo, a aplicação de determinadas medicações anti-inflamatórias em casos de tendinose, devido ao conhecido efeito de inibir a produção e reparo do colágeno.

Outro cuidado que depende da correta diferenciação desses problemas é que o tempo de recuperação da tendinite varia de alguns dias a 6 semanas, dependendo da extensão e agudicidade da lesão. Enquanto a tendinose precisa de 6 semanas a 6 meses para seu total restabelecimento.

Sabendo disso, um tratamento de poucas semanas para uma tendinose crônica certamente fará com que ocorram recidivas, já que não haveria tempo hábil para a devida produção, reorganização e fortalecimento das fibras de colágeno.

Cuidados e tratamentos para a tendionose:

  • Repouso: a cada 20-30 minutos, um intervalo de 5 minutos. Na fase aguda, pode ser necessário ainda mais repouso.
  • Adaptações ergonômicas: pequenos ajustes no ambiente de trabalho, casa, esporte e lazer podem fazer grande diferença. Recorra a especialistas.
  • Uso de órteses: em alguns casos o uso de imobilizadores ou bandagens pode ajudar na recuperação.
  • Alongamento e mobilização leve: ajudam a melhorar a circulação sanguínea e organizar o colágeno.
  • Uso do gelo: por 20 minutos, com intervalo de pelo menos 2 horas entre as aplicações, principalmente se tiver feito atividades que forcem o tendão lesionado.
  • Fortalecimento excêntrico: exercícios leves e direcionados, 1-2 vezes por dia, por 12 semanas, tem mostrado eficácia em casos de tendinose.
  • Massagem: técnicas específicas como a fricção transversal profunda, crochetagem mioaponeurótica e a pompagem miofascial têm mostrado bom resultado.
  • Alimentação: Alimentos com vitamina B6, C e E, além do manganês e zinco são importantes na síntese do colágeno e saúde do tendão.

Fonte: Minha Vida

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply