Cuidando da higiene do idoso

higiene do idoso2

1. Banho no leito

Um banho completo no leito limpa a pele, estimula a circulação, proporciona um exercício brando e promove o conforto. O banho também permite a avaliação da condição da pele, verificando a mobilidade das articulações e a força dos músculos. Dependendo da condição geral do paciente e também da duração da hospitalização, pode ser proporcionado um banho completo ou parcial diariamente. Um banho parcial – incluindo mãos, face, axilas, costas, a genitália e a região anal – pode substituir banhos completos para pacientes com pele ressecada e frágil, ou que apresentem fraqueza extrema, podendo suplementar o banho completo no caso de pacientes diaforéticos ou incontinentes.

2. Banhos em banheiras e chuveiros

Os banhos em banheiras e chuveiros permitem a higiene pessoal, estimulam a circulação e reduzem a tensão do paciente. Esses banhos também permitem observar a condição da pele e avaliar a mobilidade das articulações e a força muscular. Caso não haja um impedimento do paciente face às condições de saúde ou segurança, a privacidade durante o banho promove uma sensação de bem-estar ao paciente por estar responsável por seu próprio cuidado.
Os pacientes que estejam se recuperando de cirurgias recentes, que apresentam instabilidade emocional, ou que possuam extremidades engessadas ou enfaixadas devem receber autorização do médico para banhos em banheira ou de chuveiro.

3. Cuidando dos cabelos

O cuidado dos cabelos inclui penteados, passagem de escova e lavagens com xampu. As ações de pentear e escovar estimulam a circulação do couro cabeludo, removem células mortas e resíduos, e distribuem os óleos do cabelo para produzir uma aparência saudável. O uso de xampus remove sujeiras e óleos antigos, ajudando a prevenir a ocorrência de irritações de pele.
A freqüência utilizada no cuidado dos cabelos dependerá do comprimento e também da textura do cabelo do paciente, da duração da hospitalização e da condição do paciente. Em geral, os cabelos devem ser penteados e escovados diariamente, recebendo tratamento com xampu de acordo com a rotina normal do paciente. Tipicamente, não deve decorrer mais de uma semana, ou talvez duas, entre as lavagens. A lavagem com xampu é contra-indicada para pacientes com craniotomia recente, fratura do crânio com afundamento, condições que requeiram monitoramento da pressão intracraniana e outros envolvimentos do crânio.

4. Fazendo a barba

Sendo feita com lâminas comuns, de segurança ou com um barbeador elétrico, o barbear integra o cuidado normal diário para o paciente do sexo masculino. Além de reduzir o crescimento de bactérias sobre a faze, o barbear melhora o conforto do paciente ao remover pêlos que poderiam coçar e irritar a pele, bem como produzir uma aparência descuidada. Como cortes e arranhões ocorrem com maior freqüência ao serem utilizadas lâminas de barbear, o uso de um barbeador elétrico será indicado para pacientes com problemas de coagulação ou que estejam em tratamento com anticoagulantes. O barbear pode ser contra-indicado para pacientes com problemas de pele ou ferimentos na face.

5. Cuidado com as costas

Banhos regulares e massagens no pescoço, costas, nádegas e partes superiores dos braços promovem o relaxamento do paciente e permitem exames da condição de pele. Sendo particularmente importantes para os pacientes acamados, as massagens geram vasodilatações cutâneas, ajudando a prevenir a ocorrência de escaras de decúbito causadas por pressões prolongadas em proeminências ósseas ou pela transpiração. Massagens leves nas costas podem ser executadas após infartos do miocárdio, mas podem ser contra-indicadas para pacientes com fraturas nas costelas, feridas cirúrgicas ou outros ferimento traumáticos recentes nas costas.

6. Cuidando dos pés

A lavagem diária dos pés bem como uma aparada regular nas unhas promove a limpeza, impede infecções, estimula a circulação periférica e controla o odor ao remover resíduos existentes entre os dedos e unhas dos pés. Esse tipo de procedimento será particularmente importante no caso de pacientes acamados, ou que possuam uma predisposição especial a infecções nos pés. O aumento da susceptibilidade pode ser causado por doenças vasculares periféricas, diabetes mellitus, estado nutricional deficiente, artrite ou qualquer outra condição que prejudique a circulação periférica. Em pacientes desse tipo, um cuidado apropriado para os pés deve incluir uma limpeza meticulosa e uma observação regular quanto a sinais de lesões na pele.
O corte das unhas dos pés será contra-indicado para pacientes com infecções nos pés, diabetes mellitus, problemas neurológicos, insuficiência renal, ou doença vascular periférica, a não ser que o procedimento seja feito por um médico ou pedicuro.

7. Os cuidados antes de dormir

Os cuidados antes de dormir satisfazem as necessidades físicas e fisiológicas do paciente em preparação ao repouso noturno. Inclui cuidar da higiene do paciente, arrumar a cama para que fique limpa e confortável, bem como garantir a segurança. Por exemplo, a elevação dos protetores laterais pode evitar que pacientes sedados ou entorpecidos caiam da cama. O cuidado antes de dormir também possibilita uma oportunidade para responder às questões do paciente a respeito dos testes e procedimentos no dia seguinte, bem como discutir suas preocupações e dúvidas.
O cuidado efetivo antes de dormir prepara o paciente para uma boa noite de sono. Por outro lado, o cuidado ineficiente pode contribuir para a insônia, o que pode intensificar a ansiedade do paciente e interferir com o tratamento e a recuperação.

8. O cuidado bucal

Feito pela manhã, ao dormir ou após as refeições, o cuidado bucal envolve a escovação dos dentes, a passagem de um fio dental para remover outros resíduos e uma inspeção da boca. Esse procedimento remove depósitos macios de placas bacterianas e cálculos existentes nos dentes, limpa e massageia as gengivas, reduz o odor bucal e ajuda a prevenir a ocorrência de infecções. Ao refrescar a boca do paciente, o cuidado bucal também melhora a apreciação pela comida, dessa forma ajudando o apetite e a nutrição.
Apesar de termos a higiene bucal realizada pelo próprio paciente capaz de deambular, o paciente acamado pode requerer uma assistência parcial ou total. O paciente em como requer o uso de um aparelho de sucção para impedir a aspiração durante a limpeza bucal.

Fonte: http://idosos.com.br/

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply