Alterações Cardiovasculares do Idoso

EUVALDO

O sistema cardiovascular compreende o coração (órgão propulsor, bomba) e uma série de condutos de diversos tipos e calibres ( artérias, capilares, veias e vasos linfáticos ), por onde circula o sangue e coloca em comunicação todas as partes do corpo. Tem como função conduzir a todos os órgaõs o sangue, realizando a logística de transporte de gases, hormônios, nutrientes e recolhendo resíduos metabólicos produzidos.

O envelhecimento se caracteriza pela redução gradativa da capacidade dos vários sistemas orgânicos o que leva a uma diminuição da reserva funcional.

O peso do coração aumenta com os anos (cerca de uma grama por ano), ao contrário do que acontece com outros órgãos. Esta hipertrofia ocorre devido ao aumento da pos-carga que acontece devido ao enrijecimento arterial. Acontece um aumento da massa do músculo cardíaco principalmente as custas do septo interventricular.

No miocárdio, acontece ainda um acumulo de gordura, substituição de cálulas miocárdicas por tecido fibroso, aumento do colágeno e depósitos intracelulares de lipofuscina e de amiloide. No endocárdio ocorre um espessamento com proliferação de fibras colágenas e elásticas, fragmentação e desorganização destas fibras.

As principais alterações das válvulas cardíacas são em função da degeneração, espessamento e calcificação. Estas alterações são mais frequentes nas válvulas aórtica e mitral.

Nos vasos ocorre um espessamento endotelial, calcificação da musculatura lisa, substituição das fibras elásticas por colágeno e perda da integridade das válvulas venosas. Isto leva a um aumento da impedância e diminuição da complacência no sistema arterial, o que eleva a resistência periférica e consequentemente a pos-carga. A s alterações nas valvas venosas leva a uma tendência ao acumulo venoso.

No sistema de condução ocorre redução no número de células do nó sinusal, nó av e feixe de His acompanhado por infiltração gordurosa.

A nível do sistema nervoso autônomo ocorre uma diminuição da eficácia da modulação beta-adrenérgica sobre o miocárdio e sobre os vasos, mesmo com níveis de catecolaminas elevados ( resistência do miocárdio a ação das catecolaminas ), principalmente durante os exercícios. Por isso, no idoso o aumento do débito cardíaco durante o esforço ocorre mais devido ao mecanismo de Frank-Starling, havendo dilatação cardíaca e aumento do volume sistólico para compensar a resposta atenuada da frequência cardíaca e do efeito vasodilatador dos agonistas beta-adrenérgicos sobre a aorta e grandes vasos, que diminui com a idade.

A função cardíaca do idoso sadio, em repouso, em especial a função sistólica, não apresenta queda, porem a reserva cardíaca diminui em consequência dos processos associados ao envelhecimento: A ) elevação progressiva da pos-carga ou impedância à ejeção ventricular, devido ao enrijecimento progressivo da aorta e dos grandes vasos; B ) redução da resposta cardiovascular a estimulação beta-adrenérgica, que se manifesta por diminuição da resposta cronotrópica, inotrópica e vasodilatadora.

Em função do descrito acima o aumento do débito cardíaco em jovens e idosos acontece por mecanismos diferentes. Nos mais jovens predomina as ações decorrentes da estimulação simpática ou seja aumento do cronotropismo e do inotropismo, enquanto nos mais velhos ( onde existe uma diminuição na resposta simpática ) o coração lança mão do mecanismo de Frank-Starling, que a longo prazo leva a aumento no volume sistólico do VE.

Com o envelhecimento existe uma alteração na função diastólica em função da hipertrofia e da complacência ventricular associado ao aumento da pos-carga. A menor complacência ventricular deixa o idoso sensível as elevações da pre-carga. A contração atrial também passa a ter um papel importante na manutenção do débito cardíaco, logo a fibrilação atrial pode causar queda importante no débito cardíaco.

Euvaldo Rosa – Médico Cardiologista.

You can leave a response, or trackback from your own site.

One Response to “Alterações Cardiovasculares do Idoso”

  1. Narielly Tavares Soares disse:

    Olá Drº Euvaldo tudo bem? Eu amo suas publicações, sou sua fã! Sou Química e Pedagoga, mas minha paixão é a Medicina, sempre soube desde o ventre de minha mãe que queria ser médica cardiologista (risos), sempre tento vestibular todos os anos mais ainda não chegou minha hora, tenho pouco tempo para estudar talvez seja por isso que ainda não fui aprovada. E quando leio suas publicações me encanto,pois são poucos os médicos que (claro tirando os professores de faculdade)dividem seus conhecimentos conosco, leigos, eu não perco um, isso nos ajuda a adquirir conhecimento. Obrigada.

Leave a Reply