Avaliação da Mobilidade do Idoso

EUVALDO

A Mobilidade do paciente idoso é fundamental para a execução das decisões ( independência funcional ). Depende da postura, marcha, capacidade aeróbica e continência esfincteriana.

A instabilidade postural, a incapacidade cognitiva, a imobilidade e a incontinência esfincteriana são causas importantes de declínio funcional.

A instabilidade postural depende das causas ambientais ou extrínsecas que devem ser analisadas “in locum” em todos os pacientes geriátricos e das causas intrínsecas ou inerentes ao paciente, representadas por alterações no equilíbrio e locomoção, no condicionamento físico e nos sistemas fisiológicos principais.

Na avaliação clínica da mobilidade do paciente geriátrico com objetivo de avaliar se existe instabilidade postural é mandatório saber se houve quedas no último ano, caso positivo: quantas? como ocorreram? levantou sozinho? sentiu vertigem quando levantou?. A medida da panturrilha é um dado importante e quando inferior a 31cm é um fator de risco para quedas. Alguns testes são obrigatórios para avaliação da mobilidade dos pacientes geriátricos: teste quantitativo e qualitativo de levantar e andar três metros; teste de Romberg; Nudge teste e o teste de equilíbrio unipodálico.

Teste quantitativo e qualitativo de levantar e andar três metros ou ” timed up and go test” – o paciente deve levantar-se de uma cadeira de braço, sem apoio de braços, caminhar três metros com passos seguros e confortáveis, girar e retornar, sentando-se na cadeira. Na avaliação quantitativa quando o tempo for inferior a 10 segundos é considerado normalíssimo, entre 10 e 20 segundos normal no idoso, acima de 20 segundos anormal. Quando a duração do teste for igual ou superior a 30 segundos, iniciar imediatamente reabilitação com fisioterapeuta.

Na avaliação qualitativa do teste devemos observar: 1- equilíbrio do paciente quando assentado a cadeira. 2 – levantamento da cadeira. 3 – equilíbrio ao levantar-se. 4 – rotação. 5 – senta-se suavemente ou desaba? 6 – início da marcha é único e suave ou com hesitação? 7 – altura e comprimento do passo. 8 – existe ou não desvio no curso do trajeto? 9 – estabilidade do tronco.

Teste de Romberg – é um teste aplicado na prática clínica com objetivo de avaliar o equilíbrio. Avalia a habilidade do paciente de manter-se de pé com os olhos abertos e fechados. O teste é considerado positivo quando observamos acentuada oscilação ântero-posterior ou lateral e uma tendência a cair.

Teste de Equilíbrio Unipodálico – o paciente deverá permanecer na posição de pé somente em uma das pernas, por 05 segundos, sem apoio. É realizado com os olhos abertos e fechados.

Quando estamos diante de um paciente com história de duas ou mais quedas no último ano e com teste de ‘timed up and go test” com duração superior a 20 segundos e alterações qualitativas da marcha fechamos odiagnóstico de INSTABILIDADE POSTURAL, o que significa afirmar que este paciente tem alto risco de queda, logo requer intervenções imediatas.

Euvaldo Rosa.

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply