Osteoporose

euvaldoA osteoporose é uma doença assintomática , silenciosa e progressiva. Os sintomas são decorrentes de fraturas por traumas ou espontâneas.

Caracteriza-se por uma baixa massa óssea e deterioração da microarquitetura do tecido ósseo o que leva a uma fragilidade dos ossos e susceptibilidade a fraturas.

Cerca de 50% das mulheres e 20% dos homens, tem osteoporose na oitava década de vida o que significa dizer que temos cerca de seis milhões de pessoas com osteoporose no Brasil.

O osso tem um componente inorgânico e um componente orgânico. O componente inorgânico representa cerca de 65% da massa óssea e é formado por cristais e sais de fosfato de cálcio. O componente orgânico representa cerca de 35% da massa óssea e é composto por 90% de colágeno e dez por cento de proteínas. O remodelamento ósseo tem como objetivo manter a arquitetura óssea e a homeostase cálcio-sistêmica. A osteoporose acontece quando este remodelamento leva a uma alteração na arquitetura óssea deixando os ossos porosos, daí o nome “osteoporose”.

São considerados fatores de risco para o desenvolvimento da osteoporose: sexo feminino; idade; branco/oriental; baixo peso; tabagismo; etilismo; dieta com pouca ingestão de cálcio e vitamina d; pouca exposição ao sol; uso de corticoides e anticonvulsivantes; doenças inflamatórias ( artrite reumatoide, doença celíaca, etc….); doenças endócrinas ( tireoidopatias, diabetes, hiperparatireoidismo, hipercortisolismo, hipogonadismo, etc…); insuficiência renal, etc……..

A densitometria óssea é o exame de referencia para o diagnostico de osteoporose. Deve ser realizada: 1 – todas as mulheres com 65 anos ou mais independente de ter ou não fatores de risco. 2 – mulheres com menos de 45 anos e déficit estrogênico. 3 – mulheres no peri ou pós menopausa e com fatores de risco. 4 – indivíduos com fraturas por trauma mínimo. 5 – homens acima de 70 anos e com fatores de risco. 6 – evidencias radiográficas de osteopenia ou de fraturas de vértebras.

A terapêutica não medicamentosa da osteoporose consiste: 1 – manter o peso corpóreo saudável com o imc de 20 a 25. 2 – exercícios com carga e de fortalecimento muscular, com frequência mínima de três vezes por semana ( corridas, caminhadas rápidas, exercícios resistidos, etc…). 3 – cessar tabagismo e etilismo. 4 – melhorar a ingestão de cálcio, vitamina d, magnésio, potássio e proteínas. 5 – exposição ao sol por vinte minutos ao dia, antes das 10h ou depois das 16h. 6 – avaliar o risco de queda e orientar quanto a correção de déficits sensoriais, dispositivo auxiliar de marcha, adequação ambiental, polifarmácia, etc……

O tratamento farmacológico estar indicado nos pacientes com diagnóstico densitométrico e nos pacientes com história de fraturas.

Euvaldo Rosa.

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply