Efeitos do envelhecimento para a cognição do idoso

treinador-idoso-nyt-size-598

Com o passar dos anos, algumas habilidades cognitivas das pessoas idosas modificam-se, ao passo que outras se mantêm inalteradas. Mas o que é cognição, e quais são as habilidades cognitivas que sofrem prejuízo com o avanço da idade?

A cognição se refere à faixa de funcionamento intelectual do ser humano, a qual inclui percepção, atenção, memória, raciocínio, tomada de decisões, solução de problemas e formação de estruturas complexas do conhecimento. Como dito anteriormente, algumas habilidades permanecem inalteradas na velhice, são elas: a inteligência verbal, a atenção básica, a habilidade de cálculo e a maioria das habilidades de linguagem. Já as que sofrem declínio são a memória de trabalho, a velocidade de pensamento e as habilidades visuoespaciais

Observa-se também um maior comprometimento na atenção e resgate de informações previamente armazenadas, tarefas estas que dependem da memória de trabalho, responsável pelo armazenamento de curto prazo de informações que estão sendo ativamente processadas. Também há comprometimento na consolidação de informações recentes, habilidade associada à memória episódica, o sistema de memória de longo prazo de experiências ou acontecimentos específicos, ligados a tempo e lugar. Na memória semântica, que é a memória de longo prazo de conhecimento prático factual, de linguagem e de costumes sociais, não há alterações.

Com relação à capacidade da pessoa idosa de dividir a atenção entre diversos estímulos para apreender uma situação, esta é bastante prejudicada. Vale dizer que se refere à atenção um grupo complexo de comportamentos que permite ao indivíduo selecionar algumas informações, sustentar a concentração numa informação por certo tempo, dividir a atenção entre dois ou mais aspectos simultaneamente, e mudar, quando for necessário, o foco da atenção.

A inteligência cristalizada (capacidade de lembrar e usar conhecimentos adquiridos ao longo da vida) tende a permanecer estável, enquanto a inteligência fluida (habilidade para resolver problemas novos que exigem pouco ou nenhum conhecimento prévio) tende a declinar gradualmente.

A lentidão no processamento das informações representa a alteração mais evidente na velhice e exerce influência sobre todas as outras funções. Ela pode ser observada na dificuldade dos idosos em compreender textos e necessitar de explicações extensas e de mais tempo para realizar cálculos.

Por fim, o vocabulário e a expressão verbal podem ser ampliados durante toda a vida, enquanto a linguagem espontânea pode se tornar menos precisa e mais repetitiva com o avanço da idade.

Fonte: Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.

You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply