marcapasso1

Uma ajudinha aos corações cansados: entenda como funciona o marcapasso

Quem nunca parou para ouvir a batida do próprio coração ou mesmo de outra pessoa? Se você contar quantas vezes o coração bate em um minuto, terá  a frequência cardíaca, que deve ficar entre 60 a 100 batimentos. A bradicardia é uma alteração do ritmo do coração causada por distúrbios elétricos (arritmia) caracterizada pela redução desse valor. A solução é usar um dispositivo que desperta muita insegurança nos pacientes, mas que garante uma vida mais longa e melhor a quem está com o coração “fraco”: o marcapasso. Continue lendo »

jovem comendo fruta

Ingestão de frutas e legumes na juventude protege contra aterosclerose coronária na maturidade

As preocupações com a saúde tornam-se mais intensas com a aproximação da idade madura e o consequente aumento do risco para diversas doenças, principalmente doenças cardiovasculares. Motivadas por isto as pessoas ficam mais predispostas a promover mudanças no estilo de vida, o que sabidamente reduz o risco para doença cardíaca.

Das intervenções sobre estilo de vida na maturidade, a que estabelece um padrão dietético alto em frutas e vegetais está associada a uma redução na incidência de doença coronariana,acidente vascular cerebral (derrame) e mortalidade por doença cardíaca, redução esta que é mediada, provavelmente, pela inibição da formação da placa aterosclerótica, principal característica da doença cardiovascular. Continue lendo »

shutterstock_176869352-1024x741

Depressão e doença cardíaca são condições clínicas interrelacionadas

A depressão e doença arterial coronariana (DAC) são condições clínicas muito comuns. A depressão é um transtorno do humor caracterizado por tristeza persistente (mais de duas semanas), falta de ânimo (anedonia), fadiga, irritabilidade, baixa autoestima, alterações do apetite e peso, insônia, entre outros sintomas.

A DAC caracteriza-se pela formação de placas de gordura na parede das artérias do coração (ateromas), sendo a principal causa do infarto do miocárdio, popularmente conhecido como ataque cardíaco.

O comprometimento da qualidade e expectativa de vida são características de ambas as doenças. Existem várias condições observadas em pacientes depressivos, as quais facilitam o desenvolvimento da DAC, e também, pioram a evolução clínica de pacientes com DAC conhecida.São elas: Continue lendo »

Diabetes wordcloud

Diabéticos: evitando oscilações nos níveis de glicemia

Para os pacientes diabéticos, manter os níveis de açúcar em níveis controlados é fundamental. Tanto para evitar o aumento dos níveis de glicemia, mas também para prevenir que os níveis de açúcar se reduzam excessivamente: a hipoglicemia.

Por definição, a hipoglicemia é uma situação onde há pouca quantidade de glicose no sangue, e leva a uma série de sintomas como: tremores, sudorese, nervosismo, fraqueza, sonolência, fadiga, piora na coordenação e que podem se agravar, chegando mesmo até a perda de consciência e ao coma.

Para o paciente diabético, a principal causa de hipoglicemia é o próprio tratamento. Isto acontece por alguns motivos. Muitos diabéticos utilizam medicamentos que estimulam o pâncreas a fabricar mais insulina na tentativa de corrigir os níveis de açúcar na corrente sanguínea (como glibenclamida ou gliclazida, por exemplo). Estas medicações podem causar uma produção um pouco superior de insulina e com isso os níveis de açúcar na corrente sanguínea se reduzirem acima do necessário. Um simples ajuste de dose de medicamentos já é suficiente. Continue lendo »

alongamento-para-idosos

Imobilidade, um sério problema para o idoso

Do ponto vista médico, a imobilidade é definida como a perda da capacidade de realizar movimentos autônomos empregados no desempenho atividades de vida diária (AVDs)em decorrência da diminuição das funções motoras. Este fato, compromete a independência do indivíduo e por fim leva ao estado de incapacidade ou fragilidade.

Muitos fatores físicos, psicológicos e ambientais podem causar imobilidade em pessoas idosas, como: artrites, osteoporose, fraturas, doença de paget, doença de Parkinson, neuropatias periféricas, seqüelas de acidente vascular cerebral, insuficiência cardíaca grave, doença coronariana instável (anginas), claudicação (doença vascular periférica), doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), dor crônica, desnutrição grave, etc. Continue lendo »

omega3

Ômega 3 – Benefícios para saúde

O ômega 3 é uma família de ácidos graxos poli-insaturados (gorduras saudáveis), que parecem ter diversos efeitos benéficos no organismo, principalmente no sistema cardiovascular e no cérebro.

O interesse da medicina no ômega 3 surgiu quando descobriu-se que os esquimós eram um grupo com baixa incidência de doença cardiovasculares, apesar de terem uma dieta com elevada quantidade de gorduras, o que na época parecia uma contradição. Pesquisas subsequentes, porém, mostraram que o tipo de gordura ingerida pelos esquimós era predominantemente composta por ácidos graxos poli-insaturados, ricos em EPA (ácido ecosapentaenóico) e o DHA (ácido docosaexaenoico), duas formas de gordura da família do ômega 3.

Neste artigo vamos explicar o que é o ômega e quais são alimentos ricos neste tipo saudável de gordura. Vamos também fazer uma revisão dos principais estudos para mostrar quais são os benefícios cientificamente comprovados do ômega 3. Continue lendo »

plano-de-saude-ainda-e-luxo-n823735

Doença de Addison

Doença caracterizada pela produção insuficiente dos hormônios da glândula supra-renal ou adrenal (glândula situada acima do rim) que apresenta um quadro clínico bastante característico descrito por um médico inglês chamado Thomas Addison, em 1849, motivo pelo qual leva o seu nome até os dias atuais.

Pode ser provocada por várias causas, sendo as principais a doença auto-imune (adrenalite auto-imune), as doenças infecciosas granulomatosas como a tuberculose e a blastomicose e as doenças neoplásicas. Em pacientes imunodeprimidos, como os portadores de AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida), pode ser devida a infecções por citomegalovírus e fungos.

Como se desenvolve ou se adquire? Continue lendo »

antibioticos_1

Resistencia aos antibioticos

A penicilina foi descoberta pelo médico bacteriologista Alexander Fleming, em 1928, meio por acaso, na Inglaterra. Enquanto observava o comportamento de uma cultura de bactérias Staphyloccocus aureus , encontrada na pele dos seres humanos e responsável por inúmeros casos de infecções graves, percebeu que elas não conseguiam sobreviver na presença de um mofo chamado Penicillium notatum, que facilmente se desenvolve nos pães. As pesquisas continuaram até que a penicilina, o primeiro antibiótico conhecido, passou a ser produzida em larga escala e usada com fins terapêuticos. Continue lendo »

Aorta

Cianose

Como se desenvolve?

O sangue que circula no nosso corpo está sob duas formas, o venoso e o arterial.

O primeiro tem uma cor mais escura, é o que corre pelas veias até o pulmão. No pulmão a hemoglobina do sangue perde o gás carbônico e recebe oxigênio. Com essa troca ele se transforma de sangue venoso em sangue arterial, que é um sangue de cor mais viva, rutilante e que tem a função de levar oxigênio dos pulmões para todo o corpo.

Em média o sangue de uma pessoa normal, adulta, contém de 12,5 até 15 gramas de hemoglobina. Quando 5 gramas ou mais da hemoglobina do sangue arterial estão sem oxigênio, costuma surgir na pele ou nas mucosas uma cor azulada, denominada de cianose. Existem três tipos de cianose, a central, a periférica e a diferencial. Continue lendo »

logoCoracao(1)

Confira 7 dicas para evitar um infarto

Segundo a SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia), as doenças cardiovasculares matam cerca de 308 mil brasileiros por ano, constituindo a principal causa de morte no país. Nesse cenário, o infarto só é menos letal que o AVC (derrame).

Embora existam fatores associados ao infarto que não podem ser controlados, como a influência da carga genética, a maioria deles podem ser modificados com a adoção de novos hábitos. Confira abaixo a lista de 7 dicas para evitar a enfermidade: Continue lendo »

plano-de-saude-ainda-e-luxo-n823735

Sintomas da úlcera no estômago

Chamamos de úlcera péptica as lesões que surgem na camada mais superficial da mucosa que reveste o estômago ou o duodeno (primeira porção do intestino delgado). Quando a úlcera surge no estômago, ela é denominada úlcera gástrica; quando surge no duodeno, ela é chamada úlcera duodenal.

Como se sabe, o estômago produz ácido clorídrico, uma substância que ajuda no processo de digestão dos alimentos. Habitualmente, o interior do nosso estômago possui um pH ácido ao redor de 4 a 5. Porém, quando comemos, a produção de ácido clorídrico eleva-se, e o pH do estômago pode cair para 1 ou 2, tornando-se um meio extremamente ácido e hostil a qualquer elemento orgânico. Continue lendo »

idoso pensando

As marcas do envelhecimento

Há uma quebra na história familiar onde as idades se acumulam e se sobrepõem e a ordem natural não tem sentido: é quando o filho se torna pai de seu pai.
É quando o pai envelhece e começa a trotear como se estivesse dentro de uma névoa. Lento, devagar, impreciso.
É quando aquele pai que segurava com força nossa mão já não tem como se levantar sozinho. É quando aquele pai, outrora firme e intransponível, enfraquece de vez e demora o dobro da respiração para sair de seu lugar.
É quando aquele pai, que antigamente mandava e ordenava, hoje só suspira, só geme, só procura onde é a porta e onde é a janela – tudo é corredor, tudo é longe. Continue lendo »

menopausa peso

Ganho de peso na menopausa! inevitável?

A maior parte das mulheres na menopausa queixam-se do aumento de peso e de uma barriga insuportável. Um estudo realizado após décadas de pesquisa concluiu que as mudanças hormonais da menopausa mudam a distribuição da gordura no corpo e favorecem seu acúmulo na barriga. O pior é que o aumento da gordura abdominal ainda traz risco de diabetes e de doença cardiovascular. Continue lendo »

EUVALDO

Lesões valvulares do coracão

As principais lesões valvulares do coração são:

ESTENOSE:

Diz-se quando o orifício de uma válvula cardíaca apresenta um diâmetro menor do que o normal, dificultando a passagem do sangue.

- Estenose aórtica
- Estenose mitral
- Estenose tricúspide
- Estenose pulmonar
INSUFICIÊNCIA:

É quando as válvulas do coração não vedam o orifício valvular, permitindo o refluxo do sangue.

- Insuficiência aórtica
- Insuficiência mitral
- Insuficiência tricúspide
- Insuficiência pulmonar
DUPLA LESÃO: 

É quando uma válvula está com insuficiência além de estenose, podendo predominar uma ou outra.

- Dupla lesão aórtica
- Dupla lesão mitral
- Dupla lesão tricúspide
- Dupla lesão pulmonar

Como se faz o diagnóstico? Continue lendo »

Choque Cardiogênico

imagesO que é:

Choque cardiogênico é a incapacidade do coração bombear uma quantidade adequada de sangue para os órgãos nobres, causando queda da pressão arterial, falta de oxigênio nos tecidos e acúmulo de líquidos nos pulmões.

O choque cardiogênico é uma das maiores complicações do infarto agudo do miocárdio e se não for tratada com urgência, pode levar à morte em 50% dos casos.

Sintomas do choque cardiogênico

Os sintomas do choque cardiogênico são:

  • Pressão arterial baixa;
  • Elevação da frequência cardíaca;
  • Palidez;
  • Extremidades frias e úmidas;
  • Diminuição do estado de consciência;
  • Sonolência, fraqueza;
  • Redução da quantidade de urina. Continue lendo »
Saude-em-Foco

Detecção precoce para câncer de cólon e reto

Detecção precoce ou screening para um tipo de câncer é o processo de procurar um determinado tipo de câncer na sua fase inicial, antes mesmo que ele cause algum tipo de sintoma. Em alguns tipos de câncer, o médico pode avaliar qual grupo de pessoas corre mais risco de desenvolver um tipo específico de câncer por causa de sua história familiar, por causa das doenças que já teve ou por causa dos hábitos que tem, como fumar, consumir bebidas de álcool ou comer dieta rica em gorduras.

A isso se chama fatores de risco e as pessoas que têm esses fatores pertencem a um grupo de risco. Para essas pessoas, o médico pode indicar um determinado teste ou exame para detecção precoce daquele câncer e com que freqüência esse teste ou exame deve ser feito. Para a maioria dos cânceres, quanto mais cedo (quanto mais precoce) se diagnostica o câncer, mais chance essa doença tem de ser combatida. Continue lendo »

coracao-saudvel

Dengue: pacientes cardíacos têm maior risco de complicações

Dengue é uma doença transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti. É caracterizada por inflamação, queda do numero de plaquetas e desidratação. Estes marcos desestabilizam a função de regulação de líquidos do corpo, seja pela febre constante, seja pela perda de líquidos para fora dos vasos sanguíneos. A função hepática e renal também podem ficar transitoriamente comprometidas. A duração desse quadro vai de cinco a sete dias. Já a chikungunya apresenta características comuns a dengue, podendo acarretar em uma duração maior dos sintomas e também num comprometimento da condição geral do paciente. Continue lendo »

fique_sabendo_grande

Insuficiência Adrenal Aguda

O que é?

A insuficiência adrenal aguda ocorre quando, rapidamente, as glândulas adrenais deixam de produzir seus hormônios característicos, que são a cortisona e/ou a aldosterona.

Como se desenvolve?

A insuficiência adrenal aguda pode ser de causa primária (doença envolvendo as adrenais) ou secundária (doença envolvendo a hipófise ou o hipotálamo, responsáveis pelo controle das adrenais).

Na insuficiência adrenal aguda primária, o quadro agudo em geral é desencadeado a partir de acidentes, traumatismos graves, infecções ou outras doenças agudas ocorrendo em pacientes já portadores de doença adrenal preexistente, diagnosticada ou não. Freqüentemente, a crise adrenal aguda pode ser o momento em que se diagnostica a insuficiência adrenal primária, uma vez que os seus sintomas e sinais são de lenta instalação. Neste quadro pode ocorrer grave distúrbio hidroeletrolítico com hipotensão arterial e choque. Continue lendo »

obesdidade

Dicas práticas para tratar a obesidade

O Ministério da Saúde divulgou em abril de 2015 sua pesquisa Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), levantamento anual sobre obesidade no país. Os dados revelam que mais da metade da população brasileira está acima do peso (52,5%), número que vem crescendo ao longo dos anos. Em 2013, eram 50,8%, e em 2006 eram 42.6%. Por outro lado, o número de obesos se mantém estável, e chega aos 17%.

O Ministério informa que o excesso de peso é fator de risco para doenças crônicas dos coração, hipertensão, entre outras, sendo responsável por 72% dos óbitos no Brasil. Segundo a pesquisa Vigitel, 20% dos entrevistados disseram ter diagnóstico médico de colesterol alto, doença que se torna mais comum conforme a idade avança e a escolaridade é menor.

Tratamento nutricional da obesidade

Entre vários aspectos discutidos na 32° Congresso de Cardiologia da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro, realizado entre os dias 15 e 18 de abril de 2015, o tratamento da obesidade foi um dos pontos principais, principalmente no que se refere ao tratamento multidisciplinar da doença, com acompanhamento não apenas do medico cardiologista, mas também de psicólogos e nutricionistas, também. Continue lendo »

EUVALDO

Pericardite aguda: sintomas e tratamento

O pericárdio é uma fina membrana em forma de saco, que envolve o coração e o separa das outras estruturas anatômicas ao seu redor. Pericardite aguda é nome dado à inflamação do pericárdio, que pode ser provocada por diversas situações, incluindo drogas, traumas, infarto, câncer, insuficiência renal e infecções, principalmente as de origem viral.

O sintoma mais comum da pericardite aguda é uma intensa dor no peito, que costuma agravar-se durante a inspiração profunda. Por ser uma inflamação no coração, a dor da pericardite pode ser facilmente confundida com a dor de um infarto do miocárdio, principalmente se ela estiver acometendo um paciente com alto risco cardiovascular. Continue lendo »

park

Doença de Parkinson

Doença neurológica, crônica e progressiva, sem causa conhecida, que atinge o sistema nervoso central e compromete os movimentos. Quanto maior a faixa etária, maior a incidência da doença de Parkinson. De acordo com as estatísticas, na grande maioria dos pacientes, ela surge a partir dos 55, 60 anos e sua prevalência aumenta a partir dos 70, 75 anos.

Sintomas

Os sintomas da doença de Parkinson variam de um paciente para o outro. Em geral, no início, eles se apresentam de maneira lenta, insidiosa, e o paciente tem dificuldade de precisar a época em que apareceram pela primeira vez. Continue lendo »

insuficiencia renal

Orientações para Pacientes com Insuficiência Renal

O rim é um órgão duplo, situado na parte mais posterior do abdômen; um deles fica junto à coluna, à direita, logo abaixo do fígado; o outro se situa à esquerda, logo abaixo do baço. Cada rim pesa em torno de 150 gramas e mede de 11 a 12 cm.

É um órgão extremamente vascularizado, recebendo a quarta parte de todo o sangue que sai do coração. O sangue que passa pelos rins é filtrado, retirando as impurezas através de um processo chamado de filtração renal. Assim, o rim é um órgão depurador de substâncias indesejáveis ou que estejam em excesso no nosso organismo e, por isso, precisam ser eliminadas. Continue lendo »

PERITONIO

Câncer do peritônio

O que é:

O câncer de peritônio é um tipo de tumor que afeta o tecido que reveste toda a parte interna do abdômen e seus órgãos, chamado cientificamente de peritônio. Ele é classificado como sendo primário (mesotelioma) quando as alterações celulares ocorrem nele primeiramente e é chamado de secundário (carcinomatose peritonial) quando o câncer originou-se em outro órgão ou tecido e só depois chegou ao peritônio.

O câncer de peritônio é uma doença grave que ainda não tem cura e que mesmo com o devido tratamento possui grandes chances de recidiva.

Sintomas de câncer de Peritônio

Os sintomas do câncer de peritônio manifestam-se através de sinais nem sempre muito claros. Eles podem ser: Continue lendo »

dicas-para-baixar-o-triglicerides-6

Sete dicas para baixar o nível de triglicérides do sangue

Receber o diagnóstico de colesterol alto vira alvo de grande preocupação para muitas pessoas. O mesmo nem sempre acontece com aquelas que descobrem ter alto nível de triglicérides – ou triglicerídeos – no sangue. Menos agressivos, os triglicérides costumam ser ignorados por muitos, mas eles também são perigosos se não controlados: aumentam os riscos de doenças coronarianas e até de desenvolver diabetes. Confira sete dicas que ajudam a controlar a taxa dessa gordura.

Carboidratos

Os triglicerídeos são originados de duas maneiras: pela ingestão de alimentos ricos em gordura ou pela sintetização de carboidratos no fígado. Dessa forma, uma das primeiras recomendações médicas para baixar o nível de triglicérides é criando uma dieta balanceada e, claro, com baixo teor de carboidratos, aponta o endocrinologista Amélio. Isso inclui massas, frutas e tubérculos, como a batata. Continue lendo »

frutas-oleaginosas

Sete tipos de oleaginosas que mais protegem o coração

Conhecidas por ser um grupo de alimentos muito saudável, rico em proteínas, gorduras insaturadas, vitaminas e minerais, as oleaginosas não podem ficar de fora da dieta. Algumas delas se destacam por proteger ainda mais o sistema cardiovascular. “Parte desses alimentos são especialmente ricos em gorduras monoinsaturadas e poliinsaturadas, nutrientes que agem de forma positiva nos níveis de lipídios sanguíneos. Manter os níveis adequados desses lipídios, como o colesterol, é fundamental para reduzir o risco de desenvolver doenças cardiovasculares”, explica a nutricionista Maria Carla Leone.  Continue lendo »

0259queda_de_idosos_g

Entenda quando um cuidador de idosos é necessário

Nos dias de hoje, é natural, termos ou conhecermos alguém que tenha um idosoem casa e com a necessidade de um cuidador seja ele um familiar ou uma pessoa contratada para esta finalidade.

No entanto, só o fato de ser idoso justifica a necessidade de um cuidador? Não! É necessário observarmos outros aspectos relacionados a segurança e bem estar desse idoso. O ideal é a família estar próxima para identificar a real necessidade de ajuda, como, por exemplo:

  • É capaz de realizar sozinho as atividades de autocuidado (banho, vestir, ir ao banheiro) sem riscos?
  • Ao andar pela casa há risco de falta de equilíbrio ou quedas?
  • A memória esta preservada para que ele monitore os próprios remédios? Apresenta muitas falhas de adesão ao tratamento?
  • Consegue manter a rotina da casa?
  • Alimentação está adequada? Existem alimentos vencidos em casa?

Existem hoje dois tipos de cuidadores:  Continue lendo »

idosos parkinson

Esquecimentos podem ser sinal de comprometimento cognitivo leve

De repente, uma simples ida ao supermercado começa a incomodar, já que a pessoa não se lembra do que precisa comprar. Se antes guardava tudo na cabeça, sem o apoio de listas, agora ela precisa levar tudo anotado para não ficar perambulando pelo estabelecimento durante horas. Ou então,  tarefas como administrar a casa e lembrar a data de vencimento das contas, antes realizadas com facilidade, começam a se tornar difíceis. Esses exemplos podem ser indícios de problemas relacionados à memória ou outras funções cognitivas, como falta de atenção ou capacidade de orientação, conhecidos como Comprometimento Cognitivo Leve (CCL). Continue lendo »

banana

Banana previne câimbras e ajuda a diminuir o estresse

Considerada uma das culturas mais antigas do mundo, o plantio de bananas teria se originado no Sudoeste Asiático. Atualmente o Brasil produz aproximadamente seis milhões de toneladas por ano de banana, sendo a fruta de maior aceitação e consumo, tendo em média o consumo de 35 kg/habitante/ano.

A banana é uma excelente opção de fruto a ser consumido diariamente, uma vez que é rica em carboidratos? macronutriente responsável pela função energética, fornecendo glicose às células. Além disso a banana é rica em fibras e minerais, importantes para saúde intestinal e metabólica. A banana ainda possui a vantagem de ser prática e conveniente para o consumo, a casca da banana constitui-se em uma ?embalagem? individual, de fácil remoção e higiênica.  Continue lendo »

TESTE

A importância do teste ergométrico

O clássico teste de esteira, também chamado de teste ergométrico, geralmente é o primeiro exame a ser pedido pelos médicos para avaliar a saúde do coração, sem contar, evidentemente, o eletrocardiogramabasal que o cardiologista muitas vezes já faz no consultório para verificar o traçado da atividade elétrica cardíaca.

Alguns sinais de problemas cardiovasculares só ficam evidentes quando se exige um esforço cardíaco maior. Daí porque a esteira é imprescindível para você saber a quantas anda seu coração. Continue lendo »

328235-mae

Síndrome de Hellp

Pouco se ouve falar da Síndrome Hellp. Ela é uma complicação obstétrica rara, pouco conhecida e de difícil diagnóstico, que acontece durante a gravidez ou no pós parto, podendo causar a morte da mãe.

Seu nome vem da abreviação de termos em inglês que querem dizer: hemólise (H, hemolytic anemia), enzimas hepáticas (EL, elevated liver enzymes) e baixa contagem de plaquetas (LP, low platelet count), que são as principais características da síndrome.

Normalmente, a Síndrome de Hellp ocorre com o agravamento no quadro de mulheres que sofreram de pré-eclâmpsia, ou seja, hipertensão gerada pela gravidez. Estima-se que 8% das gestantes que sofrem de pré-eclampsia desenvolvam a síndrome. Esse número indica, em porcentagem geral, que o problema atinge de 0.2% a 0.6% das gestações. Continue lendo »

viajando com alzheimer

Viajando com Alzheimer

Mais uma história de Alzheimer:
“A oportunidade de reunir a família Silva Oliveira era única. Feriadão até terça-feira, 4 dias de folga para todos os filhos irem para Guarujá, com netos, noras e agregados. Surgiu a ideia de levar a matriarca, dona Izabel. Ela bem que precisava de um descanso, uma pausa no cansativo trabalho diuturno de cuidar de seu Agenor, nosso personagem principal.Deu para reparar que o avô é portador de Alzheimer. Já faz 5 anos e está na fase intermediária. Conhece bem os filhos e as noras, mas não sabe mais o nome de nenhum neto. Às vezes, fica difícil segurar sua impaciência de querer tudo para agora e de nunca lembrar que não almoçou ou que não comeu seu lanche. Está sempre com fome. Outro problema: não larga do pé de dona Izabel. E o Guarujá?Continuando a história, é claro que o seu Agenor também iria… Continue lendo »
EUVALDO

Aterosclerose e suas complicações

A aterosclerose é a formação de placas de gordura, cálcio e outros elementos na parede das artérias do coração e suas ramificações de forma difusa ou localizada. Ela se caracteriza pelo estreitamento e enrijecimento das artérias devido ao acúmulo de gordura em suas paredes, conhecido como ateroma.

O consumo excessivo de alimentos industrializados, bebidas alcoólicas e cigarro, a falta de atividades físicas e o excesso de peso modificam o LDL (lipoproteína de baixa densidade, o “mau colesterol”), agredindo os vasos sanguíneos e gradativamente levando ao entupimento das artérias. Com o passar dos anos, o diâmetro do vaso diminui, podendo chegar à obstrução completa, restringindo o fluxo sanguíneo na região.

Com isso, o coração recebe uma quantidade menor de oxigênio e nutrientes, tendo suas funções comprometidas. Essa complicação é a causa de diversas doenças cardiovasculares, como infarto, morte súbita e acidentes vasculares cerebrais. Continue lendo »

granola2

Granola é aliada do intestino e ajuda a controlar o colesterol

A granola é composta na maior parte por carboidratos - a principal fonte energética da alimentação. Este nutriente exerce a função de fornecer a energia que o corpo necessita para executar as atividades diárias e manter o funcionamento adequado de todo o organismo. O destaque na granola é o fato de que, dependendo da composição, a fonte é em sua maioria de carboidratos complexos proveniente de cereais integrais, grãos e sementes. Este tipo de carboidrato apresenta menor índice glicêmico – favorecendo o aumento da glicemia mais lentamente no sangue – em comparação a outras fontes de carboidratos simples, como o açúcar refinado – presente com frequência na alimentação do brasileiro em bebidas prontas e produtos ultraprocessados.  Continue lendo »

alzheimer afago

Alzheimer: Manejando os problemas cotidianos

Limitando a independência

Após o início dos sintomas, alguns pacientes que ainda mantêm algum grau de autonomia passam a apresentar problemas com relação à sua independência, podendo realizar atos que terminam por prejudicá-los, colocando em risco sua segurança física e financeira.

  • Quando impedir que o paciente administre bens e valores?
  • Quando ele deve parar de dirigir?
  • Quando deixar de trabalhar?

Essas são algumas entre outras questões que devem ser analisadas com cuidado, com vistas a evitar mudanças bruscas com cerceamento violento da independência.
As questões básicas que norteiam as decisões a serem tomadas são: Continue lendo »

Reduzir a Pressão Arterial Diminui Riscos do Diabetes

pressao-sanguinea-20110711-size-598

Quem tem diabetes tipo 2 pode diminuir o risco de desenvolver complicações relacionadas à doença se reduzir a pressão arterial, afirma uma revisão dos dados de 40 estudos clínicos envolvendo mais de 100 mil pessoas com a doença e realizada nos Estados Unidos.

Quem sofre de diabetes tipo 2 está mais vulnerável aos efeitos da hipertensão arterial do que as pessoas que não têm a doença. Diretrizes recentes sugerem que quem tem diabetes tipo 2 deve manter a pressão sistólica (o maior valor verificado durante a aferição da pressão arterial) em no máximo 140 mmHg.

No entanto, o novo estudo demonstrou que o ideal é manter a pressão em no máximo 130 mmHg  para reduzir os riscos de complicações associadas à doença. Houve uma associação entre a redução de 10 mmHg na pressão arterial, de 140 mmHg para 130 mmHg, e a diminuição de 13% no risco de morte. Continue lendo »

diabetes

Dez hábitos que previnem o diabetes tipo 2

Dados da pesquisa VIGITEL de 2013 mostram que o diabetes afeta 6,8% da população brasileira. Além disso, um levantamento do Instituto Ipsos em parceria com a empresa farmacêutica Novo Nordisk mostra que aproximadamente 10% dos brasileiros (19 milhões de pessoas) corre alto risco de desenvolver a doença, se não mudarem seus hábitos. Dentro desses 10%, aproximadamente 60% das pessoas não acredita que está em grupo de risco – o que é muito grave. Além disso, a maioria dos brasileiros não acredita que mudanças no estilo de vida sejam efetivas para prevenir o diabetes tipo 2. É o que afirma a pesquisa “Diabetes: mude seus valores” desenvolvida pela Sociedade Brasileira de Diabetes. Está na dúvida se você é um alvo fácil para esse problema? Confira os fatores de risco para o diabetes tipo 2 e como prevenir esse mal: Continue lendo »

20141117141630881019a

Sal especial para hipertensos

O sal especial para hipertensos é um sal que não tem sódio, o componente do sal que faz aumentar a pressão, e por isso este sal pode ser utilizado por quem tem a pressão alta.

Além disso, este sal como tem potássio ajuda inclusive a baixar a pressão prevenindo também as doenças cardiovasculares e ainda diminui a retenção de líquidos e o inchaço. Continue lendo »

euvaldo

Hipertensão Arterial de Difícil Controle

A hipertensão arterial de difícil controle, também chamada de hipertensão resistente, é aquela que não consegue ser controlada mesmo com múltiplos medicamentos anti-hipertensivos, ocasionando um elevado risco de doenças cardiovasculares.

Hipertensão arterial

O atual consenso classifica a hipertensão da seguinte maneira:

Normotensos: pessoas com pressões arteriais menores ou igual a 120/80 mmHg
Pré-hipertensos: pessoas com pressões arteriais entre 121/81 – 139/89 mmHg
Hipertensos grau I : pessoas com pressões arteriais entre 140/90 – 159/99 mmHg
Hipertensos grau II: pessoas com pressões arteriais maiores ou iguais a 160/100 mmHg

É sempre bom salientar que uma única medição não é suficiente para se estabelecer o diagnóstico de hipertensão. O paciente para ser hipertenso tem que apresentar níveis pressóricos constantemente acima dos 139/89 mmHg. No nosso texto geral sobre hipertensão (primeiro link da lista acima) explicamos com mais detalhes o que é necessário para se estabelecer o diagnóstico de hipertensão arterial. Continue lendo »

mulher-com-dor-materia

Cálculos Renais

O que é?

O depósito organizado de sais minerais nos rins ou em qualquer parte do aparelho urinário é o que se chama de cálculo urinário. Cálculos constituídos por cálcio são os mais comuns. Outros minerais encontrados são: oxalato, fósforo, ácido úrico. As “pedras” podem também ser formadas por uma mistura destes elementos. Quando houver um excesso destes minerais no organismo, há uma tendência para que eles se depositem na urina. Como exemplo, pode se tomar uma pessoa que faça uso exagerado de leite e derivados, os quais são ricos em cálcio. Após um período de tempo haverá uma provável formação de cálculo de cálcio nos rins. Continue lendo »

Doença celíaca: como diagnosticar e tratar

doenca_celiaca_esquemadoença celíaca é uma doença autoimune, ou seja, as próprias células de defesa imunológica agridem as células do organismo, causando um processo inflamatório. Na doença celíaca, a  inflamação é provocada pelo glúten, proteína presente no trigo, cevada e centeio. Esse processo inflamatório, que no caso ocorre na parede interna do intestino delgado, leva à atrofia das vilosidades intestinais, gerando diminuição da absorção dos nutrientes. Continue lendo »

14159_157343671133086_48558691_n

Avaliação osteomuscular do idoso

Nos idosos ocorre o remodelamento ósseo com manutenção da arquitetura óssea e homeostase cálcio sistêmica. Os idosos têm também em sua composição corporal, um aumento da massa gorda e uma redução da massa magra, às custas da diminuição das FIBRAS TIPO DOIS. Ocorre ainda, uma diminuição do número da atividade e da sobrevida dos osteoblastos. É importante ficar atento às seguintes medidas: ALTURA; IMC (ÍNDICE DE MASSA CORPÓREA); MEDIDA DA PANTURRILHA; MEDIDA DA CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL; DENSITOMETRIA ÓSSEA; BIOIMPEDÂNCIOMETRIA E DOSAGEM SÉRICA DE: CÁLCIO, FÓSFORO, FOSFATASE ALCALINA, VITAMINA D E PARATORMÔNIO (PTH).

Euvaldo Rosa. Continue lendo »

Aumetar o bom colesterol continua sendo um grande desafio

colesterol (2)

A preocupação em se baixar os níveis do colesterol ruim (LDL) no sangue é uma proposta conhecida e, em geral, conseguida com dieta e exercícios ou mesmo com medicação (estatinas). O novo desafio é aumentar o bom colesterol(HDL), o qual é para muitas pessoas geneticamente baixo. O HDL é a fração do colesterol capaz de nos proteger do depósito de gorduras nas artérias, e seu valor varia de indivíduo para indivíduo. Continue lendo »

Lactose

Intolerância à lactose

Intolerância à lactose é o nome que se dá à incapacidade parcial ou completa de digerir o açúcar existente no leite e seus derivados. Ela ocorre quando o organismo não produz, ou produz em quantidade insuficiente, uma enzima digestiva chamada lactase, que quebra e decompõe a lactose, ou seja, o açúcar do leite.

Como consequência, essa substância chega ao intestino grosso inalterada. Ali, ela se acumula e é fermentada por bactérias que fabricam ácido lático e gases, promovem maior retenção de água e o aparecimento de diarreias e cólicas.

É importante estabelecer a diferença entre alergia ao leite e intolerância à lactose. A alergia é uma reação imunológica adversa às proteínas do leite, que se manifesta após a ingestão de uma porção, por menor que seja, de leite ou derivados. A mais comum é a alergia ao leite de vaca, que pode provocar alterações no intestino, na pele e no sistema respiratório (tosse e bronquite, por exemplo). Continue lendo »

crianca-comendo-doce-alimento-original

Confira 10 dicas para quem tem filhos com diabetes tipo 1

Nicole Lagonegro é mãe da Maria Vittoria, que tem diabetes tipo 1 desde os 5 anos. Em 2009, Nicole criou o blog “Minha Filha Diabética”, um dos primeiros a compartilhar experiências e conhecimentos de uma mãe que muda hábitos, aceita e cuida da doença. No mês em que se celebrou o Dia Mundial do Diabetes, Nicole dá 10 “dicas de ouro” para os pais que precisam cuidar de filhos com a doença. Confira:

1- ALIMENTAÇÃO: Cuide para que a criança tenha uma alimentação saudável e rica em fibras. Para as que têm diabetes tipo 1, nenhum alimento é proibido e elas não devem deixar de participar de atividades sociais que envolvam comida, como festas na escola, por exemplo. Mas são necessários bom senso e a orientação de um nutricionista. Além disso, elas não devem ficar mais de 3 horas sem se alimentar, lembrando de medir a glicemia antes de todas as refeições. Não é necessário consumir alimentos diet (no entanto, são indicadas as bebidas nessa versão). O ideal é mudar os hábitos alimentares de toda a família – todos serão beneficiados. Continue lendo »

1372869442_medicos

Qual médico trata de cada doença

A lista a seguir indica qual é o melhor médico que trata algumas das doenças mais comuns.

  • O médico que trata de hemorroidas pode ser o mesmo médico que cuida dos intestinos, que é o gastroenterologista, ou o outro médico especialista chamado proctologista. O gastroenterologista é o médico especialista em problemas que afetam o trato gastrointestinal e, por isso, pode cuidar de outras doenças como gastrite, úlcera, doença de chron e diverticulite.
  • O médico que cuida do fígado também pode ser o gastroenterologista, mas há um especialista em fígado que é o hepatologista, que pode ser o mais indicado, principalmente no caso de doenças raras ou crônicas que afetam este órgão.
  • O médico que trata da sinusite pode ser o alergologista, que é o especialista em alergias mas o pneumologista também pode ser indicado porque a sinusite muitas vezes ocorre ao mesmo tempo que outras doenças, como bronquite e asma. O pneumologista trata de doenças que afetam o pulmão como pneumonia ou a tuberculose.
  • O médico que cuida da diabetes é o endocrinologista Continue lendo »
dor_perna_euatleta_get.jpg_95

Dor nas pernas: entenda as causas vasculares por trás desse problema

A dor na perna de causa vascular pode ter basicamente duas razões: circulação arterial deficiente ou um problema no retorno do sangue venoso. As artérias são responsáveis por transportar o sangue para fora do coração e distribuí-lo pelo corpo até a ponta dos dedos dos pés. As veias, por sua vez, recolhem esse sangue, que contém impurezas e pouca oxigenação, e levam de volta ao coração e ao pulmão, renovando a quantidade de oxigênio e nutrientes.

Quando o problema é arterial

Quando há uma deficiência na circulação arterial, falta sangue rico em oxigênio e nutrientes para irrigar os tecidos. O sintoma mais comum nesses casos é o que chamamos de claudicação intermitente, que provoca uma sensação de cãibra nas pernas – principalmente durante exercícios físicos. Este sintoma é muito comum durante caminhadas, pois, quando andamos, precisamos de sangue para irrigar os músculos. Se esse sangue não chega de forma adequada, sentimos uma dor forte, e precisamos parar para melhorar. Somente depois de um tempo parados é que podemos, então, retomar a caminhada por mais um período, e assim sucessivamente. A dor causada por este problema é pior quando há necessidade de se fazer mais esforço, como ao subir uma rua inclinada ou durante uma corrida. Nesses casos, a dor aparece rapidamente, e costuma melhorar quando estamos parados, assentados ou deitados. Continue lendo »

hipertensos

Crise hipertensiva

A hipertensão arterial é uma doença crônica e silenciosa, que provoca lesões em diversos órgãos do corpo de forma lenta e progressiva. Em geral, são necessários vários anos de pressão arterial mal controlada até que o paciente comece a apresentar danos irreversíveis, como lesões no coração, rins, cérebro e olhos.

Entretanto, os pacientes hipertensos podem apresentar crises hipertensivas, que são episódios de elevação abrupta da pressão arterial, muito acima dos valores habituais. Crises hipertensivas, se não controladas, podem provocar danos irreversíveis ao organismo de forma relativamente rápida. Continue lendo »

pilatesbola

Pilates: benefícios sem fim

Se fosse possível definir o pilates em poucas palavras, certamente o termo “saúde total” seria perfeito. Afinal, é um método de exercícios físicos que busca a consciência corporal, ou seja, nenhum músculo é considerado mais importante do que o outro. Você conhecerá todos os benefícios, as principais indicações e as precauções a serem tomadas. Porém, lembre-se de que, antes de praticar qualquer exercício físico, é necessária uma avaliação médica e física. No caso do pilates, o acompanhamento de um instrutor é essencial, para que os movimentos sejam realizados corretamente, sem provocar lesões. Continue lendo »

testo

Reposição de testosterona

A internet está repleta de exaltações aos benefícios da reposição de testosterona.

Os níveis de testosterona diminuem com a idade. Calcula-se que, a partir dos 20 anos, a queda seja de 1% a 2% ao ano.

Os sinais e sintomas atribuídos à baixa produção (hipogonadismo) não são específicos: aumento da gordura corpórea, diminuição da massa muscular, da densidade óssea, da libido, da vitalidade e da sensação de bem-estar. Embora a função erétil também seja afetada, ela se acha preservada até que as concentrações estejam muito baixas.

Na maioria dos laboratórios, os níveis normais estão entre 300 ng/dL e 900 ng/dL. O diagnóstico de hipogonadismo não deve ser baseado num único exame; há obrigatoriedade de duas medições efetuadas pela manhã.

Quando o resultado estiver pouco abaixo da faixa da normalidade, o diagnóstico deve ser confirmado pela dosagem de testosterona livre e de outros hormônios. Continue lendo »

trombos

O que são trombos e como evita-los

Assim como um congestionamento de carros impede que o tráfego flua, os coágulos (trombos) podem obstruir a circulação do sangue no organismo, o que muitas vezes é fatal.

A formação de trombos no interior das veias profundas, em geral nas pernas, pode causar uma doença grave chamada trombose venosa profunda (TVP). Seus sintomas incluem edema (inchaço), dor, rubor (vermelhidão) e calor no local em que se forma o trombo.

A principal complicação da TVP é a embolia pulmonar, que ocorre quando um coágulo ou parte dele se desprende e é liberado na corrente sanguínea, alojando-se nos pulmões. Os principais sintomas da embolia pulmonar incluem dificuldade para respirar, muitas vezes acompanhada de tosse e sem motivo aparente, e dor súbita no peito que piora quando a pessoa inspira profundamente.

Qualquer um pode desenvolver TVP, mas seus principais fatores de risco são: cirurgias ou traumas, idade acima de 40 anos, obesidade, tabagismo, uso de pílulas anticoncepcionais ou terapia de reposição hormonal, imobilidade prolongada, câncer, gravidez e pós-parto. Alguns distúrbios de coagulação também predispõem à TVP. Continue lendo »